Tema: Luta

É preciso correr o risco de amar. 30 ideias para rezar com as palavras do Papa na JMJ.

"É preciso correr o risco de amar." Disse-o o Papa Francisco em Lisboa perante uma multidão de jovens sedentos de sentido e cheios de generosidade.
Disse-o a ti.
Para que estes dias não sejam apenas uma boa recordação, sugerimos 30 ideias para rezar com as palavras do Papa, e umas perguntas para te ajudar a tomar decisões.
Antes de regressar a Roma, o Santo Padre deixou-nos um desafio: "Partis daqui com o que Deus semeou no coração: fazei-o crescer, guardai-o com diligência (Angelus, 6 agosto)".
Começa tu a cuidar dessa semente, e o fruto da jornada espalhar-se-á à tua volta. E Cristo reinará no coração de todos.

Descarregar PDF

Voltou uma luta que te demorou anos a vencer, uma inclinação que pensavas ter dominado. Andaste para trás?

Podes estar cansado e procuras instintivamente compensações para o corpo e o coração. Descansa.

Talvez tenhas sido imprudente. Chegaste muito perto do que sabias que te podia tentar. Recua.

Ou talvez tenha arrefecido o teu coração. E voltou a aparecer o que outrora vencias no calor da entrega. Volta a apaixonar-te.

Ainda és frágil. Deus permite que o percebas para poderes duvidar de ti mesmo, confiar Nele, lutar e vencer. Sem medo.

Também quando o trabalho é entusiasmante, também quando há uma oportunidade de ganhar muito dinheiro, também quando há pessoas pendentes de ti.

Também quando há muito que fazer em casa, também quando há tensão ou tédio em família, também quando a doença invade a tranquilidade.

Também quando o trabalho é a desculpa ideal para fugires do compromisso. Recomeça.

Parece haver no ambiente uma revolta contra o bom senso. Reinventou-se a família, descobriu-se o género, adora-se o ambiente, serve-se os animais... Como se a humanidade fosse inexperiente, como se um erro justificasse o desprezo de valores óbvios.

Não vale a pena lamentares-te. É o momento de voltar a estudar e compreender bem as coisas. Aprofundar nas razões do que fazes e daquilo em que acreditas. Resgatar a linguagem. Procurar a verdade e apresentá-la com caridade. Não chega o "sempre se fez" nem, muito menos, o "todos fazem".

Para ti, primeiro. E para quem te perguntar. Mais que uma luta, é um serviço.

Estavas de rastos e, mesmo assim, quiseste rezar. Jesus ficou contente com esse esforço que acabou num sono profundo.

Mas no dia seguinte, já descansado, adormeceste de novo na oração. E no seguinte, e no outro... Habitualmente, não rezas, dormes!

Além de ir ao médico para perceber porque adormeces em todo o lado, podes lutar contra o sono nos momentos de oração. Levanta-te, ajoelha-te, escolhe outro local ou outra hora para rezar.

Imagina que um amigo te procurava todos os dias para conversar e adormecia sempre antes que lhe pudesses dizer alguma coisa. Não estava interessado. Tu estás?

Fazes muitas considerações espirituais. Frases bonitas –e sinceras!– sobre a vida com Deus e com os teus irmãos. Queres para ti esses bons sentimentos, que pedes a Deus com o ar mais devoto e o suspiro mais profundo.

Mas, na prática...? Quais são, então, os teus propósitos? Onde estás a lutar? O que queres mudar?

Vais pedir desculpa àquela pessoa? Vais humilhar-te e ceder naquela discussão? Vais deixar de perder tempo no telefone? Vais rezar o terço? Vais arrumar o quarto? Vais confessar-te? Vais dedicar tempo aos pobres? Quanto tempo? Onde?

Suspira o que quiseres. Lembra-te apenas que a intensidade do sentimento não te torna mais autêntico. Concretiza: a tua fé tem de se fazer vida.

Se ninguém fala para explicar, cairemos nessa armadilha. Se não falamos para pedir ajuda, não sairemos dela.

A pornografia contamina o nosso olhar sobre os outros, desfaz a nossa alegria, engana a nossa autoestima, despreza a nossa relação com Deus, destrói a nossa vontade.

Tristes e insaciáveis, continuamos a permitir a exploração de alguém, o comércio dos corpos, a destruição das famílias.

A boa notícia? Podemos agir, pedir ajuda e ajudar. Recuperar a liberdade. Falando.

*

@da.oclique nasceu para isso. Segue. Mesmo sem precisar de ajuda, ajudas alguém.

Notas que te falta tempo para dedicar à oração. Estás com muito que fazer e são coisas absorventes. Tens descuidado a vida interior mas esperas um pouco de tranquilidade para poder rezar com calma e voltar a viver com presença de Deus.

Esperas há meses...

Não te falta tempo, falta-te vontade. E a disposição de abandonar essas pequenas coisas que não são boas e das quais Jesus te falará quando Lhe deres uns minutos. Como o sabes, preferes viver temporariamente indisponível.

Ele espera. Oxalá não acabes tu por esquecer-te.

Que panorama desolador. O problema não é grande mas ocupa todo o espaço. Agiganta-se e não vês o resto: nem o que é positivo, nem os outros problemas que devias enfrentar.

Afasta-te, ganha perspectiva. Se fores mais objetivo e deres um passo atrás, verás que há mais: o que vai correndo bem e em que já não reparas, os amigos presentes e disponíveis, a saúde e as boas condições em que vives, o que fazes com gosto e talento...

Pelo medo de o perder, chegamos a sofrer com o que nos devia alegrar. Mas um cristão não perde nada que não possa recuperar. Não estás só.

Leste ou ouviste um bom conselho e apressaste-te a levá-lo à prática. Tentaste uma, duas, três vezes e não aconteceu nada. Desististe.

Querias que houvesse uma receita mágica para as tuas lutas. Uma dica milagrosa que te transformasse, de vencido, em vencedor.

Não há.

Para mudar hábitos deves criar outros, lutar pacientemente, com esperança em Deus, travar muitas pequenas batalhas, aceitar as derrotas com humildade e contrição. Por amor, não por comparação.

Insiste.

Isso arranja-se, se o objetivo for parecer que aproveitas o tempo ou que és muito ativo. Mas chegas ao fim com a mesma intranquilidade de não ter feito nada.

É que foges do que deves, porque não te apetece. Foges do que dá trabalho e onde podes falhar, para ficar só com aquilo em que te louvam. Enganas-te com o tempo ocupado para fugir do compromisso, do sacrifício e do serviço.

Não reparas nestas três virtudes se tiveres um emprego de sonho. Mas hoje tens é que trabalhar! Faz o que deves, com entrega.

Como te ajudava! Alguém em quem confies e a quem sejas capaz de abrir a alma. Que seja sincero contigo e, com amizade, te ajude a apontar alto: à santidade!

É que tens enormes talentos! Mas és vaidoso dos que conheces e não conheces outros tantos. Nem conhecerás sem ajuda.

Procura acompanhamento espiritual. Crescerás em serenidade. E audácia!

É difícil perdoar. Custa largar a dor a que nos prendemos para encontrar consolo.

E mais difícil ainda reconhecer a necessidade de perdão. Admitir a própria fraqueza –ou maldade! Aceitar que não temos razão, que mentimos, que humilhamos, que usamos, que temos uma intenção retorcida.

Somos prudentes a esconder erros e astutos a procurar razões. Interessa-nos ocultar as faltas. Já pensaremos na culpa...

Mau caminho o que escolhe o orgulho em vez da esperança.

Uma mentirinha não o chocava, era assunto sem importância. E aprendeu a esconder, a disfarçar.

Melhorou a arte de dar a entender e parecer o que não era. É que ficar bem atrai muito.

Com o hábito, a insensibilidade. E a vida tornou-se um jogo: como tirar vantagens, ficar à frente, passar por cima?

Voltar atrás? Já não dava. Vivia num mundo confortável como ator principal.

E esse mundo começou a desmoronar-se.

Suspeito aqui, descoberto ali, já só queria fugir, evitar conhecidos.

Tem medo do desprezo, dos olhares acusadores, um pavor constante de ser denunciado. Envergonhado, acabou sozinho.

Não mintas. É virar-se contra si próprio.

Porque escolheste Deus, abandonaste algumas coisas. E ainda que a tua escolha se mantenha firme, às vezes tens saudades do que largaste.

Talvez preferisses dá-lo de uma vez para não mais te pesar. Como se o entregásses e acabassem tentações, como se deixasse de atrair aquilo a que renuncias.

É o momento de atualizares essa escolha, voltar a colocar nas mãos de Deus o que abandonaste no início.

Lutas normais de uma vida entregue: tens a graça de Deus para todas. E hoje que pesam pede-Lhe também misericórdia.

És combativo! Defendes a doutrina cristã com firmeza e convicção.

Mas amargurado, quase vingativo. Procuras a salvação das almas mas parece que as queres derrotar!

Desde que és cristão, deixaste de ter inimigos: estás do lado de todos. Porque não se nota?

A intimidade com Jesus e uma intenção purificada dar-te-ão o rosto humilde e manso que atrai almas para Deus.

Posts mais antigos