Tema: Carácter

É preciso correr o risco de amar. 30 ideias para rezar com as palavras do Papa na JMJ.

"É preciso correr o risco de amar." Disse-o o Papa Francisco em Lisboa perante uma multidão de jovens sedentos de sentido e cheios de generosidade.
Disse-o a ti.
Para que estes dias não sejam apenas uma boa recordação, sugerimos 30 ideias para rezar com as palavras do Papa, e umas perguntas para te ajudar a tomar decisões.
Antes de regressar a Roma, o Santo Padre deixou-nos um desafio: "Partis daqui com o que Deus semeou no coração: fazei-o crescer, guardai-o com diligência (Angelus, 6 agosto)".
Começa tu a cuidar dessa semente, e o fruto da jornada espalhar-se-á à tua volta. E Cristo reinará no coração de todos.

Descarregar PDF

Jantar de amigos. Na conversa, serena, foram aparecendo nomes de outros que não estavam presentes.

Sobre os que havia coisas boas a contar, saíram elogios e uma alegria sincera, quase orgulhosa, de sermos também seus amigos.

Sobre os que havia novidades menos felizes houve... preocupação, compreensão e sugestões para os tentar ajudar. Com o mesmo orgulho de sermos amigos seus.

Dos teus amigos não falas mal nas costas.

E chega a época em que és a pessoa que mais sofre no mundo! Porque te continuam a pedir coisas sabendo que tens de estudar. Porque parece que não ligam ao teu esforço. Porque não estudaste antes mas ninguém percebe que a culpa foi de outros. Porque te exigem mais e mais trabalho.

Por Deus e para Ele, deves ser um bom estudante: que trabalha com esforço para levar o mundo a Deus, que ama a criação das mãos do seu pai, que aproxima de Cristo os que estudam com ele, que oferece a Deus o seu trabalho bem feito. E não vive obcecado com os resultados.

Contra o egoísmo ou a preguiça, estuda por amor.

Estou bem aqui? O que pensa de mim aquele? E o chefe, o que pensa? Estou atrás dos outros. Terei futuro? Porque não aproveitei aquela oportunidade? Estão todos a casar. Ainda haverá alguém? Nota-se que me preocupo?

Podes ficar às voltas o tempo que quiseres, entristecer-te e desanimar com previsões e adivinhas, dar lugar ao medo que hoje resolveu ocupar o espaço todo.

Ou podes pôr-te de lado e, por uns momentos, pensar nos outros. Se os podes alegrar, como podes servir, como os farás sorrir ao chegar a casa, quem gostaria da tua chamada, quem vai agradecer o teu tempo. E em Jesus, que aguarda um olhar teu. Nem sempre consegues: hoje tentas.

Vive para fora. O lado de dentro risca-se com facilidade.

Disponível, atento e pessoa de palavra. Se te metes num projecto é para te envolveres, se aceitas um convite, não faltas, se te comprometes, entregas.

Desaparecer quando surge algo mais agradável é ser desleal. Dar o dito por não dito é ser mentiroso. Desmarcar-se por não ter protagonismo é ser interesseiro. E tu queres ser o contrário: leal, verdadeiro e atento aos outros.

Podias ter dito que não, mas comprometeste-te. É semanal e dá trabalho? Vai todas as semanas e trabalha. Se havia planos melhores, entregaste-os.

E assemelhas-te a Deus, que é fiel.

Deixámos de usar a cabeça, discutimos com o coração. Só. Sem a razão, sem a ciência, sem a história, sem a justiça e sem o bom senso.

Já não somos esclarecidos: não interessa, não chega! Somos comovidos, entusiasmados, enfurecidos, enternecidos. Deixámos de aprender. Decidimos pela inclinação mais forte e já nem queremos que concordem, só que nos apoiem.

É a estratégia de quem fala para consumidores. E também a fraqueza de procurar desculpas para o mal e não razões para a verdade.

É provável que o coração te domine. Não o sigas se te afasta da verdade.

Pela dedicação com que escrevi este texto, não me digas agora que discordas!

Se não resistes aos impulsos mais vulgares, se és incapaz de recusar um prazer, se te deixas levar por qualquer apetite, se o gosto ganha sempre ao dever... não és senhor de ti próprio.

E enquanto não cresceres nesse domínio pessoal, será muito difícil amares alguém. Porque não consegues entregar o que não possuis.

Sim, tens que crescer em fortaleza, resistir às tentações, educar os apetites e ser fiel. Consegui-lo-ás por amor, porque te queres dar e porque tens ajuda. Consegui-lo-ás por Deus, se for Ele o senhor do teu coração.

Habituaste-te a desvalorizar as pequenas mentiras. Não prejudicam ninguém, ninguém vai descobrir, salvam-te de dificuldades e problemas. Mas o facto é que já não sabes viver sem elas. Às vezes, já nem consegues distinguir a verdade da mentira. Não te esqueças do que diz Jesus: «Quem é fiel no pouco também é fiel no muito; e quem é infiel no pouco também é infiel no muito» (Lc 16, 10).

Adiam o problema e livram-te da pressão da responsabilidade. Mas ficar pelo mais fácil estraga muitas coisas: preferes as bocas à profundidade, a algazarra à amizade, a aldrabice ao estudo, o sentimento à verdade... E passas horas agarrado a ecrãs onde tudo te é dado instantaneamente.

Não admira que tenhas poucos conselhos a dar aos outros: desiste, não ligues, todos fazem, depois vê-se...

É hora de crescer, deixar de ser mimado. Agarrar com responsabilidade o que te pertence e viver comprometido. Acabar o que começaste.

Procura, com tempo e serenidade, o que Deus te pede sem perguntar se é difícil. Não é bom?

***

Guardas tempo com frequência para pensar nas coisas? O que queres fazer, porque o fazes, que consequências tem?

Entusiasmas-te com o que é desafiante? Percebes que Deus pode fazer da tua vida uma aventura?

Em tudo o que fazes o que mais importa é a tua imagem. Se corre mal mas tu ficas bem visto, correu bem. Se corre bem mas ficas com má imagem, foi uma desgraça!

Não olhas ao espelho para ver como estás, mas como te veem. Treinas com a imaginação as discussões que ganhas e as curiosidades que tens para contar. Revives vezes sem conta os momentos em que perdeste, para os tentar recuperar. O grande medo é que percebam que tens defeitos.

Tens e são bem patentes. Que complicação tentar escondê-los em vez de os vencer.

Ai! Será que alguém pensou em ti quando leu este post?!

Não sejas orgulhoso, sabes que tem razão.

Custa-te que descubram as tuas fraquezas. Tu próprio só agora percebes esses defeitos!

Mas não é bom que te conheças? Não é bom que alguém tenha sido sincero contigo? Não é bom saberes onde deves pôr a tua luta? Não é bom poderes contar com quem te quer ajudar?

Então, o único problema é essa pequena humilhação! Que, na verdade, só te faz bem. Deixa-te de lamentações e põe outra cara!

Sabes fazê-lo. E às vezes, num ímpeto de generosidade, adiantas-te a tudo: arrumas, apanhas do chão, limpas, carregas, ofereces-te, ficas com o pior...

Mas também jogas. Sabes ficar para trás, fingir que não viste, deixar que os outros façam, simular o movimento de quem já não vai a tempo, parecer que tens pressa, achar que não tens o dever... E quando ninguém está a ver, não fazes nada!

Ajuda com obras, desinteressadamente, sem ligar às aparências nem esperar agradecimentos. Como é bela essa virtude escondida!

Tens especial jeito para algumas coisas. Sabes reconhecê-lo e pôr o talento a render. Elogiam-te e procuram-te nesses temas em que sabes que és bom.

Sabes tanto que começas a achar que é mau o que não sai ao teu estilo, como tu fazes. Quererias ser tal, que não fosses apenas bom, mas único.

Só que há muitos como tu, com ideias e perspectivas diferentes, outro estilo... e igual qualidade. Serás capaz de te alegrar com o sucesso deles no teu campo de jogo?

Não o digas, mostra-o. Experimenta deixar fazer, ficar na sombra e elogiar.

Não esperes que tomem outros as decisões de que és responsável. Era mais tranquilo que as coisas se resolvem-se por si, mas já não és uma criança.

Podes falhar, ficar mal visto, ter culpa. E arrepender-te mais tarde. É o risco da liberdade.

Reza, pondera e pesa as razões. E escolhe. Até eu já estou nervoso com essa indecisão!

Uns e-mails, suspiros de cansaço e o ar de quem está por dentro de assuntos importantes. Pareces super ocupado mas fazes muito pouco.

Não sei se o vão descobrir. Antes disso, descobrirás tu o vazio de uma vida em que se vê o tempo a passar, com a simples preocupação de aparentar.

Ainda consegues evitar esse choque, fazendo render os talentos que Deus te deu e que os outros precisam.

É bom trabalhar, aproveitar bem o tempo, colaborar com o criador na construção deste mundo. E tu sabes que o podes fazer muito mais.

Quero ser o centro, ter a voz dominante, as melhores piadas, os conselhos acertados. Quero que me procurem, que precisem de mim, ser referência e dado como exemplo. Quero ser a primeira escolha, que me vejam antes, que me louvem e agradeçam. Quero parecer humilde, desprendido do sucesso, aparentar pura generosidade. Quero ser falado, influenciar, ser seguido.

Respondeu-me Jesus: "O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por todos."

Onde imitarás melhor o Mestre?

Posts mais antigos